ASSISTÊNCIA SOCIAL - Publicado em: 30/10/2019

Piraquara inaugura Abrigo Institucional de referência para crianças e adolescentes

Com cada detalhe pensado para garantir acolhimento e proteção integral a crianças e adolescentes provisoriamente afastados do convívio familiar, a Prefeitura de Piraquara inaugurou nesta quarta-feira, dia 30 de outubro, o novo Abrigo Institucional Elvira Lorusso do Nascimento. Construído em imóvel próprio do município, exclusivamente para essa finalidade, o espaço atende as Orientações Técnicas do Serviço de Acolhimento Institucional e se torna referência entre os municípios da Região Metropolitana de Curitiba.

O novo Abrigo garante a individualidade no atendimento e é dividido em espaços Infantil e Adolescente. Com aspecto semelhante ao de uma residência, oferece ambiente acolhedor e as melhores condições institucionais para o atendimento. Conta com berçário, nove quartos, banheiros adaptados, lactário, refeitório, cozinha industrial, lavanderia, parquinho, sala de TV, elevador, sala de estudos, sala multiuso, sala de descanso para educadores e sala de acolhimento familiar.

Os espaços foram todos personalizados a partir de uma consulta com as crianças e adolescentes que estão provisoriamente acolhidos no momento, com o intuito de deixar o ambiente mais familiar possível. Cada ambiente recebeu um tema diferente de acordo com a sua utilidade e a preferência dos acolhidos. O novo espaço foi construído de acordo com todas as normas de acessibilidade para possibilitar o atendimento integrado a usuários com deficiência.

O Prefeito de Piraquara, Marcus Tesserolli, o Marquinhos, ressaltou o trabalho de todos os envolvidos para a viabilização do Abrigo e a sensibilidade da Administração no planejamento do espaço. "Piraquara é uma nova cidade, onde hoje o Poder Público Municipal entrega um espaço diferenciado, pensado e construído com todo o cuidado para atender crianças e adolescentes que necessitam de um local adequado durante um momento delicado de suas vidas", destacou.

De acordo com a Secretária de Assistência Social, Rebekka Rinklin Alves, além de proporcionar a ampliação no número de vagas, o novo local qualifica o serviço de acolhimento. "É uma grande alegria entregar um espaço novo, construído em um imóvel próprio do município e pensado no atendimento especializado de crianças e adolescentes. A nova estrutura qualifica muito o serviço e proporciona um ambiente apropriado para os acolhidos e toda a equipe", explicou.

A Promotora de Justiça da Vara da Infância e Juventude de Piraquara, Juliana Baron, participou da solenidade e destacou o papel do Ministério Público, Poder Judiciário e os conselhos municipais na discussão e construção de políticas públicas para crianças e adolescentes de Piraquara. A Juíza da Vara da Infância e da Juventude e Adoção de Piraquara, Caroline Vieira de Andrade Mattar, também participou da cerimônia.

Ainda participaram do evento a Primeira Dama, Ana Elizabete Mazon Tesserolli, o Vice-Prefeito de Piraquara, Josimar Fróes, os vereadores Amilton Lima, Cicero Soares de Oliveira, Eugênio Huller, Professor Pedro Zaro, Jeremias Pereira, Marcelinho da Saúde, a Presidente do Conselho Municipal de Assistência Social, Tatiana Amélia, a Presidente do Conselho Municipal do Direito da Criança e do Adolescente, Daniela Silva, Presidente do Conselho Tutelar, Cris Hass, Presidente da Associação São Roque, Lindaura Kintop, Representante do Cense, Ronaldo Marafon.

HOMENAGEM 

Durante a inauguração, foi prestada uma homenagem aos familiares da senhora Elvira Lorusso do Nascimento. Emocionado, o filho e Ex-Prefeito de Piraquara, Gil Lorusso, agradeceu o reconhecimento prestado a sua mãe em um equipamento público diferenciado. O Vereador Ghiovanny Lorusso, bisneto da homenageada, falou em nome da Câmara Municipal e destacou a construção do novo Abrigo e a contribuição do Poder Legislativo municipal com o Executivo.         

SALA DE ACOLHIMENTO FAMILIAR FREI RUI

Outro homenageado foi o Frei Rui Guido Depiné. Em forma de reconhecimento ao trabalho social desenvolvido por ele no município, a Sala de Acolhimento Familiar, ambiente de encontro entre os acolhidos e os seus familiares, foi batizada com o seu nome. A sala foi toda personalizada com a foto e história do Frei Rui, além de textos conhecidos de sua autoria.

SERVIÇO DE ACOLHIMENTO INSTITUCIONAL 

O acolhimento institucional de crianças e adolescentes é uma medida de proteção especial de alta complexidade, de caráter provisório e excepcional, utilizável como forma de transição para posterior colocação de crianças e adolescentes em famílias extensa, substitutas ou reinserção familiar. Em Piraquara, o serviço é de responsabilidade da Secretaria Municipal de Assistência Social com quadro de servidores próprio, composto por coordenadora, assistente social, psicólogo, educadores sociais, cuidadores e motorista.

HISTÓRICO

O Serviço de Acolhimento Institucional "Abrigo Elvira Lorusso do Nascimento" é uma instituição pública criada e mantida pela Secretaria de Assistência Social. As atividades tiveram início em 1998 como Casa de Passagem a partir de uma ação civil pública movida pelo Conselho Tutelar permanecendo municipalizada até 2005, quando então foi terceirizada, ficando sob a gerência da Casa de Recuperação Esperança- CRE. Em julho do ano de 2010 novamente passou a ser gerido pela Prefeitura de Piraquara. Em cumprimento as Orientações Técnicas do Serviço de Acolhimento Institucional o espaço preconiza a garantia de Acesso ao Respeito à Diversidade e Não-Discriminação; Oferta de Atendimento Personalizado e Individualizado; Garantia de Liberdade de Crença e Religião; Respeito à Autonomia da Criança e do Adolescente; Não Desmembramento de Grupos de Irmãos. Desde 2010 o serviço de acolhimento foi desenvolvido em espaços locados ou cedidos

O Serviço de Acolhimento Institucional atende crianças e adolescente em situação de risco. A presente instituição possui capacidade estrutural para acolher até 40 crianças e adolescentes que estejam em situação de risco social, como:

I - abandono familiar e situação de rua;

II - perda dos genitores ou responsáveis;

III - vítimas de negligência, maus-tratos, exploração e/ou abuso sexual, crueldade e opressão.  Situações estas que devem ser preferencialmente analisadas pela equipe técnica do Centro de Referencia Especializado de Assistência Social, com encaminhamento do Conselho Tutelar, ou ainda através de determinação judicial.

CONFIRA AS FOTOS


Compartilhe seu conteúdo nas redes sociais: