SAÚDE - Publicado em: 01/10/2019

Campanha de Incentivo à Doação de Sangue e Medula Óssea foi realizada em Piraquara

No último sábado, dia 28 de setembro, foi realizado em Piraquara um mutirão para o cadastro de doadores de medula óssea. A atividade fez parte da campanha de Incentivo à Doação de Sangue e Medula Óssea municipal, instituída no município por meio da Lei Gustavo Rosa Calonga, Nº - 1387/2014, com o objetivo esclarecer e conscientizar as pessoas sobre a leucemia, além de incentivar a doação de sangue e o cadastro de medula.

A ação foi desenvolvida em parceria com o Hemepar, das 09h às 15h, no estacionamento da Regional do Guarituba. No local também foram prestadas informações e esclarecimentos sobre doação de sangue e cadastro de doadores de medula. Mesmo fora da programação, os profissionais ainda ministraram uma breve palestra no Colégio Estadual Ivanete Martins de Souza.

CONFIRA AS FOTOS

Cartilha educativa

Neste ano, a Secretaria Municipal de Saúde desenvolveu uma cartilha ilustrativa sobre o tema para ser distribuída para os 12 mil alunos da rede municipal de ensino. De forma lúdica, o material apresenta o personagem Gustavo Calonga que explica como ser um doador e fala sobre a importância do cadastro para salvar vidas. A iniciativa visa alcançar além dos alunos, seus familiares sobre o assunto.

A cartilha também foi animada e distribuída por meio de um vídeo em espaços públicos da Prefeitura de Piraquara.

Lei Gustavo Rosa Calonga

A Lei Gustavo Rosa Calonga instituiu em Piraquara a Semana Municipal de Incentivo à Doação de Sangue e Medula Óssea, com o objetivo de esclarecer e conscientizar as pessoas sobre a leucemia, além de incentivar a doação de sangue e o cadastro de medula.

O nome da lei foi escolhido em homenagem ao jovem piraquarense, Gustavo Rosa Calonga, que faleceu aos 11 anos em abril de 2014 por falta de um doador compatível de medula óssea. As ações vão ocorrer sempre no mês de setembro, na semana em que era comemorado o aniversário do Gustavo.

Dúvidas frequentes                

O QUE EU PRECISO FAZER PARA ME TORNAR UM DOADOR?

Ter entre 18 e 54 anos de idade; Estar em boas condições de saúde;

Não ter doença infecciosa transmissível pelo sangue;

Fazer o cadastro no Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea (REDOME)

COMO É FEITO O CADASTRO?

A pessoa que deseja ser um doador de medula óssea deve procurar Hemocentros e Unidades de Coleta e Transfusão e preencher um formulário com seus dados. É importante sempre atualizar o cadastro. Somente com as informações atualizadas será possível localizar o doador depois da confirmação de compatibilidade com o paciente. Para isso, vá até onde você realizou o seu cadastro ou preencha suas informações no portal do Instituto Nacional do Câncer (INCA): www.inca.gov.br/doador.


Compartilhe seu conteúdo nas redes sociais: